ACIDENTES REALMENTE DEPRECIAM O VEÍCULO?

Além de muito incômodo, outra consequência do acidente de trânsito é a depreciação do veículo, isto é, a desvalorização do valor de mercado do automóvel em virtude do sinistro.

Não há dúvidas que a depreciação no veículo se trata de um dano material e, como tal, é passível de indenização. Porém, ao recebê-la e realizar o conserto do veículo ainda não é possível remover o acidente do histórico dos documentos.

Ao substituir as peças originais, renovar a pintura e entre outros itens, o veículo perde sim o seu valor e entra em depreciação. Por mais que colisões, enchentes e furtos deixem suas cicatrizes, o passado de um veículo sempre pode ser bem maquiado por serviços realizados em oficinas ou “martelinhos de ouro”. Por isso, até mesmo para especialistas, analisar veículos usados apenas “no olho” pode ser um mistério.

Para eliminar qualquer dúvida, o ideal é realizar uma vistoria de avaliação antes da compra. Caso o resultado do laudo seja veículo “sinistrado” ou “REM” (chassis remarcado), evite comprar o veículo. Devido ao histórico de problemas graves, eles sofrem uma depreciação de 20% a 30% no momento da revenda.

Além da vistoria, você pode contar com a Union para realizar consultas sobre o histórico do veículo em questão. Nossas consultas podem gerar mais de 160 itens de verificação em um só veículo, com dados atualizados e precisos, o que garante que sua compra será segura e sem erro.

Faça sua consulta:

www.unionsul.com.br

6 DICAS PARA RENOVAR O ESTOQUE DA SUA LOJA OU CONCESSIONÁRIA CORRETAMENTE

Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a previsão de crescimento nas vendas de veículos para este ano é de até 12%. Um dado importante para quem trabalha no ramo já que, os estoques devem ser renovados e reforçados. Porém, é nesse momento que muitas perguntas rodeiam os lojistas. Como renovar o estoque de forma correta? Preparamos algumas dicas para facilitar esse processo e realizá-lo de forma mais segura e responsável. Confira!

1 Determine a quantidade do estoque observando os veículos que tem uma boa saída, observe também, o prazo que eles demoram a chegar da fornecedora e tempo gasto entre os dois. Assim, será possível saber qual deve ser o estoque mínimo de cada veículo e evitar que prejudiquem as vendas;

2 Procure por empresas especializadas em repasse veicular. Contar com uma empresa com equipe especializada e próxima a você fará uma grande diferença.  Comprar veículos de repasse também pode ser uma boa opção, além de oferecerem um valor mais baixo, os carros de repasse são um ótimo investimento para donos de revendas e concessionárias. Se você ainda não sabe o que são veículos de repasse, confira este post explicado no nosso blog: https://goo.gl/xPzXHo

3 Tenha certeza de que está comprando o veículo certo, faça uma avaliação da quilometragem, procure pela oferta e demanda do modelo do veículo levando em consideração o ano e a marca. E principalmente, busque pelo seu histórico, evitando veículos que passaram por acidentes e alterações;

4 Tenha cuidado com débitos e restrições (nossas consultas respondem essas perguntas, apontando débitos estaduais e municipais, além de restrições financeiras, administrativas ou judiciais, entre outras);

5 O barato pode sair caro! Carros sinistrados ou de leilão são um grande motivo de prejuízos e devoluções de compras. As consultas da Union resolvem isso. Nossas bases de dados são o que há de mais moderno no segmento, oferecendo ao comprador a máxima segurança nos dados sobre qualquer veículo no território nacional;

6 Avalie o veículo pessoalmente! Nada como uma boa avaliação, não é mesmo? A Union possui equipe própria e parceiros em todo território nacional. Oferecemos serviço de vistoria remota com fotos, análise pela nossa mesa técnica e laudo padronizado e online através do nosso sistema. Você traz o carro com a certeza das suas condições reais. Basta consultar a disponibilidade do serviço no Estado onde o carro se encontra em nosso site e, caso haja a disponibilidade enviamos um de nossos vistoriadores;

Um estoque de qualidade pode mudar o rumo do seu negócio e para isso, cada detalhe faz a diferença. Fique atento e siga as nossas dicas!

VOCÊ SABE O QUE É UM VEÍCULO DE REPASSE?

É normal que, ao procurar um carro para comprar, naveguemos pela internet em busca do melhor preço e bom estado do veículo e, é nesse momento em que nos deparamos com anúncios de “carros em repasse”. Mas afinal, o que são veículos de repasse?

Existem dois tipos de repasse:

Os veículos de repasse são carros em bom estado, que não passaram por leilões e não tiveram acidentes de perda total, que são vendidos abaixo da tabela de mercado. Ao optar por um preço mais baixo que os praticados pelo mercado, o comprador fica ciente que veículos de repasse não permitem oferecer garantia e revisões mecânicas e/ou estéticas que poderão ser necessárias dependendo do critério do comprador.

O outro tipo de repasse, bastante praticado por concessionárias, envolve um modelo usado como entrada ou parte do pagamento na compra de um veículo novo. Para que assim, ambas as partes se beneficiem com o negócio. Os modelos mais novos e em melhor estado recebidos pelas concessionárias são levados ao setor de seminovos e usados, já os demais, são vendidos a revendas por preços mais baixos. Porém, isso não necessariamente significa que eles estão em mau estado de conservação, pois, a avaliação destes veículos leva em consideração o custo da revisão para revendê-los, o tempo de uso, a média anual de quilometragem e também, a demanda pelo modelo/versão do veículo.

Mas qual a diferença entre revenda e repasse?

É comum que pela semelhança do termo exista uma confusão. Mas, de forma geral, uma revenda compra um veículo e dá a ele um tratamento: revisão mecânica, conserto de problemas técnicos, ou desgastes superficiais. Assim ele está em perfeitas condições e pronto para um novo comprador. A revenda geralmente atesta um carro em boas condições, e em condições totalmente regulares de compra e venda.

Já o repasse de carros, por outro lado, funciona como o próprio nome indica, simplesmente repassando o produto recebido, sem a obrigatoriedade da realização de melhorias.

Enfim, tudo depende de procedência e informações verídicas sobre o veículo em questão, para que a compra possa ser realizada sem futuras complicações.

Boa compra!